sexta-feira, 23 de agosto de 2013

Posted by Joel Rodrigues | File under :

O mundo olha horrorizado para o Egito esta semana. Os números oficiais falam de 525 mortos, incluindo 43 policiais, e 3.000 feridos em todo o país. A Irmandade Muçulmana aumentou o número de mortos para 4.500.

Após a destituição de Mohamed Morsi, o país se viu tomado pela disputa de vários grupos pelo poder. Manifestações em todo o país evoluíram para uma verdadeira batalha campal. Especialistas afirmam que o Egito está numa encruzilhada que pode mudar radicalmente o país caso os aliados da Irmandade Muçulmana vençam. Um dos motivos é por que eles já falam em uma guerra contra Israel.

Os conflitos desde quarta-feira são os mais sangrentos já registrados no país na era moderna. A violência utilizada pelas forças de segurança dos partidários da Irmandade Muçulmana, que controlava o governo deposto, desencadeou uma onda de raiva e vingança em todo o país. Tudo piorou com a renúncia do vice-presidente Mohamed ElBaradei. Ganhador do Nobel da Paz ele justificou que não poderia “assumir a responsabilidade por decisões com as quais não estou de acordo”.

Em meio a isso, muitos muçulmanos se voltaram contra os cristãos, a quem muitos acusam de ter apoiado os inimigos de Morsi. Existem registros que pelo menos 52 igrejas foram queimadas em várias cidades do país, alguns possuíam um grande valor histórico. Escolas cristãs, mosteiros e instituições como a Sociedade Bíblica também foram atacadas. Um grande número de casas pertencentes a cristãos também foram atacadas, os mortos podem passar de 200.

A Igreja Copta, maior grupo cristãos do país, relata que na cidade de Assiut, no centro do país, os fiéis tiveram de fugir por uma janela enquanto uma multidão cercava e apedrejava o seu templo. Nas cidades de Minya, Fayoum e Sohag várias igrejas coptas foram queimadas e já existem vídeos mostrando isso no Youtube.




De acordo com um relato do jornal New York Times, “muçulmanos têm pintado um ‘X’ preto nas lojas cristãs para marcar quais seriam queimadas. Multidões atacaram igrejas e cristãos sitiados em suas casas. Sabe-se de cristãos que foram mortos com golpes de facas e facões em suas casas.” Representantes da liderança cristã do país afirmam que os ataques ocorreram “sem motivo algum, o único crimes que eles cometeram é serem cristãos em um país onde uma das facções políticas está travando uma guerra religiosa e apela para a violência visando ganhos políticos.”

Uma das justificativas para os ataques religiosos é que Tawadros, líder espiritual dos oito milhões de cristãos coptas do Egito, expressou seu apoio à retirada dos militares que apoiavam Morsi e a suspensão da Constituição do Egito. Os cristãos são cerca de 10% dos 85 milhões de habitantes do Egito.

Embora o exército tenha declarado “estado emergência”, ninguém sabe que rumos essas manifestações podem tomar. A maioria da população não apoia o golpe de Estado ocorrido no início de julho contra o Governo eleito.

Vários países europeus como o Reino Unido, França e Alemanha manifestaram o pesar pela violência no Egito. O presidente francês chegou a falar em uma intervenção internacional para evitar uma guerra civil. O Governo da Turquia, país igualmente muçulmano, pediu que “a comunidade internacional, liderada pelo Conselho de Segurança da ONU e da Liga Árabe” possam intervir e impor medidas radicais para parar os assassinatos. Com informações CNN, Christianity Today e Daily News Egypt.
                                                                                                                                     
Fonte: Gospel Prime
Posted by Joel Rodrigues | File under :
Um grupo de direitos dos homossexuais de Uganda entrou com uma ação contra o reverendo americano Scott Lively o acusando de apoiar as políticas anti-gay que o governo do país africano está tentando aprovar.

A associação de minorias sexuais da Uganda afirma que o pastor, enquanto esteve no país, perseguiu homossexuais e promoveu uma conferência em 2009 que fez surgir um projeto rigoroso contra a homossexualidade chegando a prever a pena de morte para gays.

A ação foi acatada pela justiça de Massachusetts que pode julgar e condenar o evangélico por crimes contra os direitos humanos.

Em sua defesa, o pastor diz que não tem nenhuma ligação com a proposta do governo de Uganda e que suas declarações sempre foram a favor da família tradicional e estão garantidas pela liberdade de expressão.

Logo que começou a ser acusado pelos ativistas o reverendo, que trabalhou por muitos anos na África, se defendeu dizendo que tudo não passa de falsas acusações. “Nunca fiz isso [apoiar a prisão e a morte de gays]. Essa é uma falsa afirmação por parte dos gays e aliados da mídia. Nunca, jamais, estive a favor da pena de morte para isso”.

Lively acredita que a Uganda está “indo muito longe” ao tomar essas medidas e por isso não os apoia. Contudo ele sabe que a intenção do governo é proteger a sociedade e impedir que ela seja ‘homossexualizada’. “Eles estão preservando a liberdade religiosa e os valores da família”.

Ao tomar conhecimento da decisão da justiça americana, Judge Michael Ponsor, autor da ação contra o pastor, comemorou e disse que essa é uma vitória significativa para os direitos humanos. Com informações DW e Bosto Herald.
 


Fonte: Gospel Prime
Posted by Joel Rodrigues | File under :
Quem acompanhava os conflitos do Egito na última semana pelo canal Euronews teve uma grande surpresa, pois uma figura misteriosa montada em um cavalo amarelo foi vista no meio da reportagem que também foi retransmitida pela MSNBC, pela CNN e chegaram rapidamente ao YouTube.

Como você pode ver no vídeo, por volta de 1:20’ aparece entre a multidão de manifestantes e barricadas, a figura fantasmagórica que fica na tela por alguns instantes antes de aparentemente voar sobre a cabeça dos manifestantes.

As imagens geraram polêmica e muitos acreditam que trata-se do quarto cavaleiro do Apocalipse. Na passagem bíblica sobre a visão de João está escrito: “Então vi um cavalo amarelo, e o nome daquele que o montava era Morte. E seguia atrás dele outro cavalo, e o nome do que montava neste era Inferno. Eles receberam domínio sobre a quarta parte da terra para matar pela guerra, pela fome, pela doença e por intermédio dos animais selvagens da terra” (Ap 6.8, NBV).

Se você ficou impressionado e acha que as imagens foram alteradas para gerar pânico, como muita gente chegou a comentar, pode acreditar que o que os seus olhos viram não foi produzido por computadores, pois no site da Euronews as imagens são as mesmas.

Profecias


O fato fez com que alguns estudiosos de profecias ligassem essas imagens às recentes mortes misteriosas de animais em diversas partes do mundo.

O que parece ter aumentado a convicção em determinados setores cristãos é um vídeo gravado poucos dias antes da aparição do “cavaleiro”. A autointitulada profetisa Cindy Jacobs convocou igrejas de todo o mundo a orar e jejuar pelo Egito. Ela disse ter recebido uma revelação de que Satanás estava naquele país instigando as massas e tentando provocar uma Terceira Guerra Mundial.


 Confira o vídeo(a partir de 1:17):


Fonte: Gospel Prime