quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Posted by Profetiza Sobre as Nações |
   
Recentemente fiquei sabendo que alguém num blog decidiu “refutar” um artigo bem velho nosso sobre o beijo. Então fui lá para ver os argumentos. Se eu disser que achei legal, será mentira. Na verdade eu senti uma indignação justa. Como que alguém que se chama de “filho de Deus” iria querer defender algo que obviamente não se encaixa dentro do que nós chamamos de Santidade ao Senhor? Será que ele está tão enganado? Ou talvez esteja tentando justificar algo que está ou estava praticando na vida dele. Seja o que for eu senti uma ira pensando em tantos jovens que podiam ser influenciados por uma besteira dessas. Ou quem sabe outros jovens que só precisavam de alguém para ajudar eles ignorarem os toques do Espírito Santo dizendo que não está certo e liberar tudo de uma vez por todas. De qualquer jeito, eu vou fazer questão de responder os argumentos dele aqui e defender o lado do Senhor e de um povo separado.

Aqui embaixo está a “refutação” dele inteira. Depois eu vou comentar.

Li um artigo com o seguinte nome: Mais sexo: o beijo (http://www.geracaobenjamim.com/modules/smartsection/item.php?itemid=38). 

Para entendermos melhor o que o autor quis ensinar, podemos sistematizar em uma sequência de lógica que seria assim:

O beijo é um ato sexual.
O ato sexual só deve ser feito no casamento.
Logo, o beijo é pecado.

Haja vista que eu montei essa sequência de lógica segundo as respostas das perguntas que o próprio autor elaborou.

Em olhar para essa sequência de lógica vemos que ela é “bem elaborada”, todavia, se rompermos a sua premissa A o restante da lógica se torna uma falácia, ou seja, se mostrarmos que o beijo não é um ato sexual o restante do argumento cai por terra.

A articulação do autor em seu artigo para relatar que o beijo é ato sexual é argumentar que foi através do beijo que o sexo é consumado e uma vez que o sexo é consumado aparece a gravidez na adolescência, as doenças venéreas e estupro no namoro. Porque o beijo acende o fogo e leva a sensualidade.

Contudo, eu leio isso e fico meditando. Se o beijo é um ato sexual porque ele “pode” me levar ao sexo, eu devo também considerar que um abraço com a namorada é um ato sexual porque ele também ativa os nossos hormônios (especialmente os homens), que nos leva ao beijo que nos “levaria” ao sexo. Ou então eu devo considerar que se eu ficar conversando com a minha namorada é um ato sexual, pois no momento em que eu converso como ser – humano (e homem) com a minha bela namorada eu tenho vontade de beijá-la que depois me “levará” para o sexo.

Outra coisa que podemos imaginar é um seguinte. Se a menina ficou grávida na adolescência, ou estuprada pelo namorado, ou houve doenças venéreas foi simplesmente pelo ato sexual genital que eles cometeram, e isso sim é conseqüência da falta do domínio próprio que eles tiveram. Com isso não podemos fazer uma comparação de causa e efeito com o beijo e essas consequências que foram feita pelo sexo genital. Mas como eles começaram o sexo genital? Não foi pelo beijo? Claro que sim! Mas como eles começaram o beijo? Por qualquer motivo que eles começaram nós devemos que “culpar” esse motivo pelas doenças venéreas, pela gravidez e pelo estupro no namoro, seja pelo abraço, ou pela conversa ou pelas trocas de olhares. Repito, todas essas consequências foram trazidas pela falta de domínio próprio. Por exemplo, Davi teve um ato sexual com Bete-Seba, pois ele deitou com ela e não porque olhou (apesar de ter pecado também, pois olhou premeditando no ato).

Podemos deixar notório também que o beijo não pode ser considerado ato sexual do ponto vista bíblico, pois em nenhuma parte da bíblia isso é exposto ou ensinado, são somente opiniões humanas. Tenta me mostrar na bíblia tal doutrina, mas, por favor, não force o texto e tenha princípios interpretativos.

Salienta-se também que do ponto de vista científico o beijo não é um ato sexual. Não me venha com o argumento em que a ciências também não aprova a criação, mas, sim, a evolução, pois esse argumento não cola. Porque quando a ciência diz isso ela vai contra a bíblia, mas em relação ao beijo ela não vai contra a nada.

Pense nisso: se o beijo é um ato sexual porque leva ao sexo, então ele deixa de ser ato sexual…

Como vimos às afirmações feitas pelo o autor, em declarar que o beijo é um ato sexual são falaciosas, tornando o resto da sua linha de pensamento falacioso. Mas é bom notar também que os textos bíblicos que ele usou não têm nada haver com a questão do beijo.

Concluindo, eu relato que seria mais inteligente e correto fazer a colocação que deve se evitar o beijo como uma atitude prudente, para não cair no pecado. Mas simplesmente como uma atitude prudente, e não condená-lo como pecado e muito menos como ato sexual, pois isso deixa de ser uma exigência de vida em santidade e se torna um radicalismo segundo pensamentos de homens (Mt 23.4).

Fonte: fabioecarolguimaraes.wordpress.com

0 comentários: